O futuro do mercado de FIIs no Brasil
POR
Daniel Malheiros (Malheiros_RBR)

top
Publicado em
11 / 01 / 2019
Foto Autor
Autor
Gestor da RBR Asset Management
Avaliações
1 Estrela 2 Estrela 3 Estrela 4 Estrela 5 Estrela
Sou o Daniel Malheiros da RBR Asset, gestor responsável pela área de investimentos offshore (EUA), e vou começar a publicar artigos no Blog do Clube FII a fim de quebrar paradigmas do mercado de FIIs, bem como análises sobre os mais diversos segmentos desse mercado. Já participei de entrevistas no Clube FII, fui analista sell side do setor imobiliário em banco, e mais recentemente trabalhei como head de FII na Empiricus.

O mercado de Fundos Imobiliários (FIIs) nos EUA, mais conhecidos por REITs, é bem evoluído comparativamente ao mercado brasileiro – legislação, capilaridade com investidores, liquidez, etc.

Só para se ter uma ideia de dimensão, cerca de 80 milhões de norte-americanos, 25% da população, investem em REITs. Em termos de propriedades, são mais de 500 mil que compõe os FIIs num valor de mercado total de aproximadamente US$ 1,0 trilhão.

No Brasil, a indústria de FIIs ainda está engatinhando, representa pouco mais de 1% do total dos R$ 4,5 trilhões da indústria de fundos de investimentos. O valor de mercado total desses ativos é de R$ 44 bilhões, representados por aproximadamente 1.600 propriedades e títulos de dívida (ex: CRIs) - número infinitamente inferior aos dos EUA.

Contudo, a indústria de FIIs tem crescido a passos largos em nosso país. Em 2010, cerca de 10 mil investidores investiam nesse veículo, em 2017, esse número subiu para 100 mil, e hoje se encontra em 180 mil investidores - um crescimento de 18 vezes no período. Em contraste, o mercado acionário saiu de 600 mil para 750 mil CPFs entre 2010 e 2018.

O desempenho de um fundo imobiliário depende basicamente de três fatores: qualidade do ativo, gestão e fatores macroeconômicos. Uma boa gestão vai desde a escolha de um ativo no preço justo à antecipação de movimentos de mercado e fases do ciclo imobiliário nos seus respectivos segmentos (galpões logísticos, shoppings, lajes corporativas, hotéis, agências bancárias, etc.).

Além do mercado de tijolo, também temos os fundos de papéis que investem em CRI e LCI, e os fundos de fundos (mais conhecidos como FoFs) que investem tanto em fundos de tijolo quanto nos fundos de papel - interessante alternativa de diversificação e terceirização de gestão.

Olhando para o futuro, enxergamos um crescimento importante desse mercado. Fatores como, desmobilização de ativo, desalavancagem financeira, redução do custo de dívida de empresas, desinvestimento de fundos de private equity, reciclagem de portfólio, mudanças regulatórias de fundos de pensão, crescimento do modelo de distribuição de produtos, melhora da educação financeira, entre outros, sustentarão o crescimento dessa indústria.

Por fim, o processo de “Education” dos investidores pessoas físicas juntamente com o aumento da transparência das gestoras de recursos, são pontos fundamentais para o desenvolvimento da Indústria, em conjunto com uma evolução da legislação.

Marcação a Mercado, uma vantagem ou desvantagem
Dias atrás, estávamos estruturando uma apresentação aos clientes de um escritório de agentes autônomos (AAI) sobre os temas: (i) “porquê” investir em Fundos Imobiliários (FIIs); e (ii) como “surfar” cada momento do ciclo imobiliário. Um comparativo entre FIIs e Imóvel Físico, com as vantagens e desvantagens de cada modalidade, estava presente em um dos slides, e é especificamente um dos pontos ali abordados que vamos explorar nesse artigo: a desvantagem de FIIs do ponto de vista da marcação a mercado.
Foto Autor
Daniel Malheiros
19 / 07 / 2019 5 min de leitura
Investimento em Imóvel vs Investimento em Fundos Imobiliários
Investir em imóveis via Fundos Imobiliários é mais rentável do que comprar uma sala comercial ou um imóvel residencial com o objetivo de obter renda recorrente.
Foto Autor
Thiago Otuki
27 / 11 / 2017 5 min de leitura
Fundo de Fundos: uma alternativa de diversificação para investidores de FIIs
Uma dúvida muito recorrente entro os investidores iniciantes em fundos imobiliários é sobre a alocação nos fundos de fundos ou “FOFs” (Fund of Funds). Quais as possíveis vantagens em investir em um FOF? Os fundos de fundos que investem em cotas de FIIs são uma alternativa para investidores com poucos recursos e que desejam uma grande diversificação. É necessário entender que esse tipo de fundo é um importante veículo de investimentos para determinados perfis e que podem compor a carteira dos investidores mais experientes e qualificados em muitas situações.

O gestor tem que demonstrar que realmente realiza uma gestão ativa e performa no longo prazo acima do seu benchmark. Caso não performe ou não comunique de forma objetiva suas estratégias é melhor o investidor avaliar de forma cuidadosa a manutenção desse fundo em sua carteira.
Foto Autor
Thiago Otuki
24 / 05 / 2019 5 min de leitura
O Clube FII preza pela qualidade do conteúdo e verifica as informações publicadas, ressaltando que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.